Dicas para as novas donas de casa

Compartilhe:

Fonte: Vila Equilíbrio

Nossas avós – e talvez até nossas mães – foram criadas numa época em que a mulher deveria ser ótima dona de casa, mãe e esposa. Isso era natural, e cabia aos maridos trabalhar para comprar o que a família precisasse.

O casamento ainda existe, mas a ideia de que a mulher deve ser educada para cuidar da casa foi praticamente extinta na sociedade ocidental. Agora, elas querem ser independentes em tudo, inclusive na área financeira. Como não aprendem mais a lavar, passar, cozinhar e nem limpar com as mães, a maioria das mocinhas de plantão sofre quando vai casar e precisa virar “dona de casa” de uma hora para outra.

“A mulher ‘moderna’ foi criada para ser executiva e não dona de casa”, observa Regina Sundfeld, consultora da empresa “Help Personal Assistant”, que oferece cursos para noivas ou recém-casadas. “Com essa mudança de cultura e de comportamento, inclusive o homem teve que se adaptar à nova realidade, passando a ajudar a mulher na rotina da casa. Muitas vezes é o homem que cozinha”, completa.

Ela acredita que, atualmente, existem os seguintes tipos de mulher: aquela que gosta e sabe cuidar da casa e, mesmo trabalhando fora, consegue dar conta; a que não gosta do serviço de casa, mas sabe fazer, então faz o serviço do jeito que dá; a que gostaria de executar as tarefas, mas não sabe por onde começar e aquela que sabe, mas não gosta das tarefas.

O fato é que, mesmo dividindo o serviço com o marido ou até tendo uma empregada, é preciso saber pelo menos um pouco de limpeza para ter a casa como a gente gosta. Afinal, não dá para supervisionar o trabalho da faxineira se não soubermos como ela deve limpar.

Então, se você vai casar em breve e está desesperada, ou se já tem sua casa, mas não consegue “dar um jeito” nela, calma. Não é tão difícil quanto parece. Respire fundo e comece tudo do início.

Numa casa nova, “comece fazendo uma boa faxina em todos os cômodos e armários, para depois poder começar a guardar as coisas”, diz Regina. Quem já tem o enxoval, cama, mesa e banho pode ir lavando e guardando tudo assim que terminar a primeira faxina. O terceiro passo é começar a trazer as roupas que estão na casa dos pais, para ir organizando aos poucos. Aproveite para tirar aquelas peças que você não usa mais e que podem ser doadas.

Depois de instalada no local, a nova dona de casa precisa saber que existem tarefas que devem ser feitas todos os dias, outras semanalmente e outras mensalmente. Vale seguir as dicas da especialista:

  • Fazer a cama todos os dias antes de sair para trabalhar;
  • Não deixar louça suja na pia, se não tiver tempo antes de sair deixe a louça dentro de uma bacia com água e detergente, dentro da pia. Desse modo, quando chegar ficará mais fácil para lavar;
  • Limpar os banheiros todos os dias, recolher o lixo e colocar para fora. Não deixar toalha molhada em cima da cama, após o banho pendure-a no varal, assim, quando chegar, ela estará seca e o tecido não ficará com manchinhas de mofo.
  • Não deixar sapatos, roupas, e outros objetos espalhados pela casa.
  • Antes de deitar, recolha tudo o que estiver espalhado e se possível guarde.

Na lavanderia, preste atenção nas outras dicas de Regina:

  • Evite comprar água sanitária (Cândida), pois por ser ela incolor muitas vezes cai um pingo e não percebemos o que ocasiona manchas nas roupas. E só notamos que a roupa está manchada quando vamos passar ou guardar.
  • Existem produtos naturais com vinagre ou bicarbonato, que podem substituir produtos industrializados na limpeza diária.
  • Separe os panos de limpeza que serão utilizados para limpar o banheiro, os quartos, a cozinha e marque-os com tinta para tecido os vários usos.
  • Separe também os baldes para limpeza da casa e coloque etiquetas em cada um deles.
  • Opte pelo uso de detergente neutro e sabão de coco na limpeza em geral, pois são produtos que normalmente podem ser utilizados em qualquer superfície sem danificar o material.
Compartilhe:

Personal assistant dá jeito na bagunça da casa e do trabalho

Compartilhe:

Portfólio de serviços inclui desde a organização de pequenos eventos e confraternizações até a arrumações de closets

Fonte: Correio Popular – Por Sheila Vieira

Satisfeita com a arrumação dos armários da clínica onde trabalha, a fonoaudióloga Silvana Bortoncello, de 37 anos, resolveu contratar os préstimos da Help Personal Assistant Campinas para solucionar a “bagunça” no escritório da família repleto de papéis e pastas que deveriam ser acomodados em dois armários com seis portas. As profissionais também propuseram uma nova disposição para o computador, tornando o ambiente mais bonito e funcional.

Em uma tarde de trabalho, Flávia Benetton e Mônica Monetta idealizaram uma forma organizada de utilização do espaço ao preço de R$ 40,00 a hora. “O antes e o depois comprovam a organização do escritório e a proposta de uma forma mais prática de encontrar aquilo que procuramos”, diz satisfeita Silvana, que é casada e mãe de um menino de 2 anos. A falta de tempo e o fato de o marido, que é nutricionista animal, costumeiramente usar o espaço para trabalhar em casa, facilitaram a desorganização do ambiente que vinha sendo utilizado há três anos. “A Help nos ensinou a utilizar de forma racional o escritório em casa, otimizando o espaço”, garante.

Amigas de longa data, a publicitária Flávia, que já atuou na profissão fora da País, e a psicóloga Mônica, ambas de 46 anos, chegam a atender até dois clientes por dia porque a organização demanda tempo. E antes de qualquer coisa é preciso diagnosticar a melhor maneira de atender às expectativas do contratante, seja ele pessoa física ou empresa. Elas trouxeram para Campinas o conceito estabelecido em São Paulo, onde a Help Personal Assistant foi criada por Heloisa Lúcia Sundfeld, que é professora, esposa, dona de casa e idealizou a Help Personal Assistant em 2002, após observar a vida agitada das pessoas, o que incluía a vida dos filhos.

O portfólio de serviços oferecidos é bastante diversificado e nas empresas pode incluir desde a organização de pequenos eventos e confraternizações, transporte e recepção de visi-tantes; acomodação de famílias que se mudam para a região; treinamento de recepcionistas e secretárias; e organização de arquivo morto. Para quem é dona de casa e não tem tempo, a empresa auxilia a organização de mudanças residenciais, consultoria em decoração e em reformas residenciais, organização e arrumação de closets, armários, arquivos pessoas e até malas. Elas também acompanham idosos e crianças em passeios e viagens, fazem compras em supermercado, cuidam de pets ou da casa enquanto o cliente viaja, organizam chá bar, chá de cozinha e chá de bebê e colocam a geladeira em ordem.

Flávia conta que 80% das contratações são feitas por mulheres, e a solicitação mais comum é a arrumação de armários. “As pessoas convivem com a bagunça até que a situação atinja níveis críticos e elas passam a não saber mais o que fazer”, diz a personal assistant, que relata que a arrumação de um cômodo acaba incentivando os moradores a colocar outros ambientes e armários em ordem.

Um dos maiores desafios para a dupla de personal assistant é tornar os armários o mais prático possível. Por uma questão, diga-se cultural, o brasileiro é apegado ou simplesmente gosta de guardar papéis e objetos que poderiam ser descartados. Agendas velhas, revistas, recibos que já caducaram lotam gavetas, pastas e armários. “Em média 30% dos papéis podem ser descartados”, diz Flávia, que utiliza uma lista para checar o que deve ou não ser jogado fora, como apólices de seguros com mais de um ano ou multas pagas até a data do novo licenciamento, o que as torna invalidadas. Comprovante de pagamento de água, luz e telefone tam-bém devem ser avaliados.

Arrumar o guarda-roupa ou armário por categoria de atividade facilita a escolha das peças e a principal vantagem nesse caso é o ganho de tempo. “Não existe bagunça organizada”, alerta a personal, refutando a idéia de que se acostuma com a bagunça em um armário. Por ser uma atividade relativamente nova no mercado de Campinas, por conta de a Help Assistant entrar em operação no final do ano passado na cidade, Flávia conta que as contratações são feitas principalmente por indicação.

Heloisa, atua no segmento há seis anos e relata que não existe um aumento sazonal na contratação dos serviços, mas um decréscimo durante o período de férias escolares.

Em Campinas, a Help Personal Assistant realiza uma assessoria semanal em uma clínica do Jardim Paineiras, onde seis secretárias auxiliam oito médicos. Flávia conta que o trabalho foi iniciado em janeiro e o contrato está previsto até maio. Nesse intervalo de tempo, a dupla vem auxiliando o trabalho das secretárias, que não conseguiam arranjar tempo para organizar os arquivos da clínica. “Faltavam rotina de trabalho, padronização dos arquivos e liderança na equipe”, ensina a personal, que também detectou a necessidade de contratação de mais uma funcionária no quadro da clínica. Além dos armários, as personal assistant foram encarregadas de solucionar pequenos serviços de manutenção do local.

“O potencial do mercado de Campinas é enorme pela quantidade de clínicas e consultórios”, finaliza Flávia. A falta de tempo das pessoas, cada vez mais atarefadas e donas de casa acumulando funções, gera outro nicho promissor.

Compartilhe:

Alternativa ao Desemprego: Aposte na carreira de Personal Organizer

Compartilhe:

Fonte: Publicações RH-MegaBR

Com tantas atividades no trabalho e pouco tempo disponível, as tarefas em casa ficam em segundo plano para as pessoas. Passear com os cachorros, levar as crianças ao médico ou arrumar o armário parecem missões difíceis de serem cumpridas. Diante deste cenário, surge uma nova profissão: o personal, que pode ser uma alternativa ao desemprego.

O  trabalho do  personal  assistant, uma categoria de personal, por exemplo, pode ser definido de maneira simples: “faz qualquer coisa que a pessoa não tem tempo de fazer”, disse a proprietária da Help Personal Assistant, Heloísa Sundfeld.

Como o trabalho é autônomo, o salário varia bastante. Em geral, cada serviço prestado custa em torno de R$ 50 a hora. Quando é um serviço grande, porém, existe um pacote fechado.

De acordo com Heloísa, existem muitas pessoas interessadas em exercer esse trabalho, mas geralmente são aquelas que estão desempregadas. “Não é: vou largar meu emprego para viver disso. É perigoso. Os clientes não vão cair do céu. Para quem gosta e está desempregado, vale a pena” afirmou.

Realidade da profissão

O trabalho não tem rotina. De manhã, a pessoa está em um lugar e à noite, em outro. Por isso, para arriscar se transformar em um personal assistant, é preciso ser dinâmico. Dentre outras dicas dadas por Heloísa, estão gostar do tipo de serviço que presta e, principalmente, conhecer o que está fazendo. “Não adianta falar que vai fazer, se não sabe como é o serviço”, afirmou.

Além disso, é preciso saber lidar com pessoas de todos os tipos e classes sociais. Também são requisitos ter bom humor, para transmitir empatia e poder conquistar clientes, além de um item que ajuda bastante: o carro, que permite visitar a casa dos clientes e comprar os materiais necessários para realizar o trabalho.

Outro ponto que a pessoa deve entender é que o trabalho de autônomo é sazonal. Se, em um mês, pode-se ganhar bastante, em outros, os serviços podem ser escassos. “Nas férias, normalmente o pessoal viaja e não quer saber de mudanças e reformas”, disse.

Compartilhe:

Ambiente organizado indica maior eficiência

Compartilhe:

Fonte: Jornal de Londrina – Telma Elorza

Segundo especialistas, a chamada “bagunça organizada” não passa de desculpa para adiar tarefas –
e produtividade pode cair até 20%

A falta de organização, seja no trabalho, em casa ou na vida pessoal, significa perda de tempo. Em um ambiente profissional, a produtividade pode cair significativamente se a pessoa tiver que parar para procurar um telefone ou documentos no meio da pilha de papéis, pastas e objetos acumulados na mesa. Segundo o consultor empresarial londrinense Wellington Moreira, da Caput Treinamento e Consultoria, a perda de tempo pode chegar a 20%. “Imagine isto em horas, dias, meses e até anos, o quanto vai representar em perdas para a empresa”, apontou.

Para Moreira, a chamada “bagunça organizada” é apenas uma desculpa para adiar a tarefa de se livrar dos excessos. “A desorganização é a externização de algumas outras deficiências do profissional. Quem mantém a mesa desorganizada, vive a vida inteira desta forma. Pode até ser relapso profissionalmente”, afirmou.

Segundo o consultor, algumas empresas não vão para frente porque não conseguem se organizar de forma competente. “A desorganização não é só material. Pode ser virtual. Um computador mal organizado, sem divisão em pastas, por exemplo, vai fazer o profissional perder tempo procurando um arquivo em meio a milhões de outros. Com a probabilidade de não encontrá-lo”, disse.

Até um projeto ou idéia mal registrada pode significar perdas futuras. “O que é preciso é vencer a barreira cultural e levar o princípio da organização para todos os setores da vida”, afirmou o consultor. A personal assistant paulistana Heloisa Sundfeld concorda. Segundo ela, a frase “eu me encontro na minha bagunça” é uma das maiores mentiras que a pessoa conta para si própria. “A organização poupa tempo e dor de cabeça”, afirmou.

Bagunça alheia
Heloisa Sundfeld ganha a vida organizando a bagunça alheia, um serviço que fazia de forma amadora para amigos até perceber que as pessoas e empresas estavam carentes deste tipo de trabalho. Em 2003, ela montou a Help Personal Assistant. Hoje, entre seus clientes estão desde donas de casa e solteiros até empresas de pequeno porte.

Segundo ela, não há uma fórmula adequada para se organizar. “É questão de bom senso. O que serve para mim, pode não dar certo para você”, explicou.

Mas as regras básicas, para Heloisa, são simples: deixar à mão apenas as coisas que utiliza com freqüência. “Se não vai usar sempre, guarde numa pasta, numa gaveta ou armário”, apontou. Para documentos antigos, agendas usadas e papeizinhos com anotações o destino deve ser o lixo. “Porque anotar recados em papéis soltos? O melhor é usar a agenda, onde já fica arquivado e à mão”, apontou.

O princípio de um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar também deve ser seguido, segundo ela. “São práticas que podem ser implantadas em qualquer local, de uma fábrica a uma residência. E vão garantir uma produtividade maior”, afirmou.

Uma oficina sem parafuso fora do lugar
Culturalmente, oficinas mecânicas sempre foram identificadas como locais sujos, cheios de graxa e com muitas ferramentas espalhadas. Mas as oficinas da Jabur Toyopar são um exemplo do que a organização pode fazer pela empresa e seus clientes. Lá, os mecânicos são chamados de técnicos e não se vê um parafuso fora do lugar.

Segundo o chefe da oficina, Valentim Trodorfe, a diferença está no programa de Marketing de Serviços da Toyota (TSM, sigla em inglês). O programa começou há ser implantado no Brasil em 2002. Hoje, dos 123 distribuidores da marca no País, 39 já foram certificados. A oficina da Jabur recebe sua certificação neste mês.

Segundo Trodorfe, a diferença entre as oficinas da Toyota e as das outras está principalmente na esquematização por etapas de trabalho. “Assim, o cliente, quando agenda o serviço, ele sabe exatamente a hora que vai entregar e retirar o veículo”, explicou.

Chip
Pelo sistema de agendamento, até as peças necessárias para substituição são separadas no dia anterior. As etapas de trabalho também são acompanhadas via chip. “Assim,eu sei exatamente quem está trabalhando e quem não está”, afirmou.

Cada técnico também recebe um carrinho de ferramentas comuns, no qual cada gaveta comporta um tipo de ferramenta. “Assim, ele não perde tempo procurando uma ferramenta específica”, lembrou. As especiais, de uso comum, são “trocadas” por crachás. “Cada técnico recebe cinco crachás. Se ele precisa de uma ferramenta especial, vai até o armário, pega e deixa um crachá. Se outro precisar da mesma ferramenta, ele sabe com quem encontrar”, explicou.

De acordo com o diretor de Pós-Venda da Jabur, Fabiano Andreatta, tudo isto foi planejado para que a oficina seja eficiente e produtiva. “Poupando o tempo que o técnico perderia procurando uma ferramenta, podemos atender mais um cliente”, explicou. Hoje, a oficina é capaz de atender 30 veículos/dia.

Compartilhe:

Personal Assistant é nova carreira que ajuda a organizar a vida

Compartilhe:

Fonte: Cristiana Arcangeli – por Nadia Heisler

Cada vez mais, as simples tarefas do dia-a-dia vêm se tornando estressantes, cansativas e, o que é pior, tomando tempo. Na verdade, os executivos sentem isso mais do que ninguém. Por isso, toda essa rotina carregada que essas pessoas têm, fez surgir uma nova profissão no mercado, trata-se do Personal Assistant, que pega carona no Personal Trainer, Stylist e até o Personal Gourmet.

Essa nova profissão nada mais é do que uma consultoria treinada e contratada para auxiliar pessoas muito ocupadas em tarefas cotidianas, desde fazer compras, ir ao banco, orientar os empregados da casa, organizar a agenda de negócios, o ambiente de trabalho, entre outros. Resumidamente, o Personal Assistant é encarregado de gerenciar tarefas de rotina e organização. O serviço é contratado por hora e está sendo bastante requisitado por homens e mulheres bem sucedidos, mas totalmente sem tempo.

A Help Personal Assistant é uma empresa especializada em serviços de organização em São Paulo e já registrou mais de 10 consultas semanais para a execução de serviços, como treinamento de funcionários, organização após alguma mudança, organização de armários, entre outros, informa a consultora particular Heloisa Sundfeld. De acordo com ela, desde 2003, quando foi oficialmente constituída, a Help tem registrado um crescimento anual de 30% no número de solicitações. Com isso, pode esperar concorrência porque muita gente deve estar de olho neste filão.

O motivo de tanta procura é, sem dúvida, a rotina atribulada a que os executivos têm sido submetidos. “Profissionais que estão sempre com agenda cheia passam o dia resolvendo problemas de dentro e de fora do trabalho, mas acabam não encontrando tempo para as tarefas particulares, cuidar de si, descansar e se divertir. Quando solicitam o apoio de Personal Assistant, percebem que podem evitar estresse desnecessário e dedicar mais tempo a atividades que lhe proporcionem prazer.”, afirma Heloisa.

Além disso, a prestação do serviço do Personal Assitant também pode ser útil a quem acaba de mudar de cidade. “Pessoas de outros estados e países que mudam de cidade a trabalho, por exemplo, encontram dificuldades de adaptação, especialmente na hora de resolver questões rotineiras, como comprar roupas, ir ao supermercado, escolher escola para os filhos, controlar contas a pagar e preparar-se para eventualidades. A equipe de Personal Assistants geralmente é treinada para a execução deste tipo de tarefa”, informa Heloisa.

Segundo a especialista, os serviços de Personal Assistant costumam ser contratados por mulheres independentes, casais jovens que trabalham fora e famílias que acabam de se mudar, entretanto, não raro surgem consultas de homens solteiros ou descasados. “Os homens são os mais exigentes, querendo sempre tudo em ordem. São pessoas que querem ter a casa ou o ambiente de trabalho organizado e evitar preocupações. Desejam gastar o tempo livre para descansar, se divertir ou ficar com a família e os amigos”, afirma Heloisa.

No caso do serviço da Help, assim que o cliente entra em contato, é logo marcada uma visita ao local para uma avaliação do serviço a ser executado. Em seguida, é elaborada uma proposta detalhada dos trabalhos e, só depois, agenda-se o início das atividades. “Quando somos contratados, fazemos uma entrevista com a pessoa para saber qual é o seu objetivo principal, suas necessidades e se o trabalho é no escritório ou em casa”, afirma Heloisa. De acordo com a consultora, os serviços são cobrados por hora, mas quando a solicitação exige dias para a finalização, é feito acordo com preço fechado.

Confira alguns dos nossos serviços de organização doméstica:

  • Treinamento de empregados;
  • Organização da mudança;
  • Definição do cardápio semanal;
  • Compras em Supermercados;
  • Apoio para compras em geral;
  • Organização de armários e malas para viagens;
  • Controle de contas e pagamentos em bancos;
  • Preparar eventos na residência, hotel ou Buffet;
  • Localizar serviços de lavanderia e limpeza;
  • Acompanhamento de idosos em consultas médicas, entre outros.

Mercado promissor

De acordo com a consultora da Help, geralmente, os serviços levam dias para serem finalizados e a hora de uma boa profissional não sai por menos de R$ 50,00. De olho nesta tendência, a Help também passou a organizar workshops para a formação de Personal Assistants. As aulas têm em seu conteúdo programático técnicas sobre organização de residências e escritórios, arrumação de armários em geral, organização de freezers e geladeiras, treinamento de funcionários, preparação de mudanças, organização de listas de compras e despensa, organização de malas para viagem, organização de jantares, acompanhamento de idosos, entre outros. “Procuramos ensinar as técnicas básicas, mas a agilidade e experiência são adquiridas no dia-a-dia de trabalho.”, informa Heloisa Sundfeld.

Compartilhe:

Sem cheiro de guardado

Compartilhe:

Com pequenos cuidados, casacos, cobertores e edredons ficam longe da poeira e odores, além de prontos para serem usados no próximo inverno

Fonte: Revista Donna

donna-sem-cheiro-de-guardado-01 donna-sem-cheiro-de-guardado-02 donna-sem-cheiro-de-guardado-03

 

Compartilhe:

Como reciclar lixo corretamente

Compartilhe:

A Help e a reciclagem

Uma das nossas preocupações quando estamos realizando um trabalho dentro de alguma empresa, clínica ou residência, é com o descarte de material e com a reciclagem de lixo. Tentamos, através de esclarecimentos, atividades e premiações, desenvolver o senso de colaboração com o nosso meio ambiente entre os funcionários. Quando realizamos grandes arrumações e faxinas em arquivos e armários, sempre ficam para ser jogado fora, grandes quantidades de papel, embalagens, aparelhos elétricos e até móveis. Sempre procuramos alguma entidade ou organização que possa recolher este material para reaproveitamento ou reciclagem. Procuramos incentivar o uso de caneca pelos funcionários para reduzir o número de copos plásticos usados. Orientamos a equipe de limpeza e os funcionários domésticos a separar todo o lixo que pode ser reciclado e também a reduzir o uso de sacos plásticos nas compras e a usar sacolas retornáveis para as compras de supermercado e feiras. Lançamos lembretes pela internet para evitar o uso indiscriminado de papel e pela impressão consciente de documentos, entre outras atividades.Algumas dicas de reciclagem para vocês:

Quais são os materiais não recicláveis?

Papéis não recicláveis: adesivos, etiquetas, fita crepe, papel carbono, fotografias, papel toalha, papel higiênico, papéis e guardanapos engordurados, papéis metalizados, parafinados ou plastificados.
Metais não recicláveis: clipes, grampos, esponjas de aço, latas de tintas, latas de combustível e pilhas.
Plásticos não recicláveis: cabos de panela, tomadas, isopor, adesivos, espuma, teclados de computador, acrílicos.
Vidros não recicláveis: espelhos, cristal, ampolas de medicamentos, cerâmicas e louças, lâmpadas, vidros temperados planos.

 

Quais são os materiais recicláveis?

Os materiais recicláveis trazem esses símbolos marcados em alto relevo ou impressos:

Papéis recicláveis: aparas de papel, jornais, revistas, caixas, papelão, papel de fax, formulários de computador, folhas de caderno, cartolinas, cartões, rascunhos escritos, envelopes, fotocópias, folhetos, impressos em geral. Como separá-los: Devem estar secos, limpos (sem gordura, restos de comida, graxa), de preferência não amassados. As caixas de papelão devem estar desmontadas por uma questão de otimização do espaço no armazenamento.
Plásticos recicláveis: tampas, potes de alimentos (margarina), frascos, utilidades domésticas, embalagens de refrigerante, garrafas de água mineral, recipientes para produtos de higiene e limpeza, PVC, tubos e conexões, sacos plásticos em geral, peças de brinquedos, engradados de bebidas, baldes. Embalagens Tetra Pak podem ser separadas juntamente com o plástico. Como separá-los: potes e frascos limpos e sem resíduos para evitar animais transmissores de doenças próximo ao local de armazenamento.
Metais recicláveis: latas de alumínio (ex. latas de bebidas), latas de aço (ex. latas de óleo, sardinha, molho de tomate), tampas, ferragens, canos, esquadrias e molduras de quadros. Como separá-los: devem estar limpos e sempre que possível reduzidos a um menor volume (amassados).
Vidros recicláveis: tampas, potes, frascos, garrafas de bebidas, copos, embalagens. Como separá-los:devem estar limpos e sem resíduos. Podem estar inteiros ou quebrados. Se quebrados devem ser embalados em papel grosso (jornal ou craft).

Compartilhe:

Cuidados gerais com roupas

Compartilhe:

Como tirar pelos de roupas

Para tirar pêlos de qualquer origem de roupas ou estofados basta pegar uma fita adesiva, enrolar em volta dos dedos e ir pressionando sobre o tecido. Repete-se o movimento quantas vezes for necessário. Quando perceber que a fita não está mais absorvendo os pêlos, troque a fita. Quanto mais larga a fita mais fácil se tornará o serviço.

Como guardar roupas brancas

Roupas brancas de pouco uso, sejam elas pessoais, de mesa ou banho, devem ser guardadas envolvidas em papel de seda ou um tecido de cor azul bem escuro ou preto, para que não amarelem com o tempo.

Como clarear roupas

Para clarear roupas, basta colocar ½ xícara de suco de limão à água da máquina de lavar !

Como tratar tecidos sinteticos

As fibras sintéticas mantêm o cheiro da transpiração, mesmo depois de lavadas. Para anular o cheiro, mergulhe a roupa em uma solução de água com uma colher de bicarbonato. Mas, atenção: isso deve ser feito no último enxágüe.

Compartilhe: